Enciclopédia Britannica abandona versão impressa

Após de 244 anos de existência a Enciclopédia Britannica foi mais uma vítima da revolução digital e não contará mais com sua versão impressa.

As vendas atingiram um pico em 1990, quando 120.000 unidades foram vendidas, mas este número caiu para 40.000 em 1996 na época das enciclopédias digitais como a Encarta da Microsoft, e desde esta época não parou de perder mercado.

A empresa reagiu com alternativas como uma série de DVD’s e CD’s, bem como com portais on-line e aplicativos móveis, e segundo algumas declarações, tem uma boa parcela de sua renda em outras fontes.

“Nós estamos notando uma tendência de queda nas vendas de impressão por um tempo agora, mas a maioria dos lucros de nossas operações já vêm de produtos on-line e móveis de modo que este é o próximo passo natural na transição da empresa”, disse Eoghan Hughes, Gerente de RP da Enciclopédia Britannica no Reino Unido.

Os hábitos de consumo estão mudando, e com o tempo acredito que outras publicações seguirão o mesmo caminho, ainda mais com a constante popularização dos tablets.

Será que não chegou a hora das escolas seguirem o mesmo caminho com seus livros didáticos, eliminando este peso desnecessário das mochilas dos alunos? Na minha opinião esta mudança já deveria ter acontecido, desde que preços justos fossem cobrados pelos livros digitais, o que infelizmente eu não acredito que aconteça tão cedo no Brasil.

Quem sabe um dia não teremos um ensino um pouco mais moderno e digital? Vamos esperar e torcer!

Via Pocket-lint.

Leave a Reply