O que está acontecendo com a F1?

Depois de um bom tempo sem publicar posts sobre Fórmula 1 e MotoGP, vamos poder contar novamente com os excelentes textos do Marcelo Manna do All Racing aqui no blog!! Seja bem vindo novamente Marcelo, a casa é sua!!!

bar

“Não faz muito tempo, a Honda, na falta de patrocinadores, pintou seus carros de F1 com uma espécie de mapa mundi e os chamou de Earth Car. Isso não impediu os carros de despejar 34 toneladas de CO2 na atmosfera naquela temporada, mas não ajudou em nada nos resultados da equipe na competição.

Não faz muito tempo, oito em cada dez telespectadores caía no sono lá pela segunda volta de um GP, devidamente embalado pelo som dos motores zunindo em procissão. As emissoras de TV, preocupadas com o dinheiro de anunciantes, diziam que mais de três milhões estavam em frente as suas TVs, mas nenhum índice de audiência saberia dizer quantos estavam dormindo, porque já sabiam quem ia ganhar. Eu sei que eu estava.

Não faz muito tempo, um garoto de vinte e poucos anos recém chegado a categoria máxima comemorava uma vitória jantando com seu pai em um restaurante chique, sem bebidas alcoólicas. E mais tarde seu pai daria entrevistas explicando que namoradas poderiam desconcentrar o jovem prodígio, enquanto ele próprio agradecia seu chefe de equipe por lembra-lo de usar protetor solar nos dias de sol forte.

Agora que a equipe mais improvável lidera o campeonato, o piloto mais improvável ganha corridas e mesmo depois da largada ainda acontece alguma coisa de interessante, não há porque reclamar que um (outro) garoto de vinte e poucos anos, haja como um garoto de vinte e poucos anos, e enfie seu carro no muro porque alguém mandou fazer.

Dizem que René Arnoux tinha um caso com a esposa do seu chefe, Nelson Piquet (o pai) já admitiu coisas bem piores do que fazer xixi no carro, e mesmo o professor Prost, bateu seu carro de propósito no de Senna, que bateu de propósito no de Prost, que mais tarde criticou Schumacher por bater de propósito no de Hill, no de Villeneuve e no muro de Mônaco.

Então porque toda essa histeria agora? O grande erro de Piquet foi que, fez o que fez, não para ganhar uma corrida, mas para que seu companheiro o fizesse. A novidade seria acreditar que Alonso não sabia de nada, e aceitou sair da 15ª posição com gasolina suficiente para dar 3 voltas.

Niki Lauda disse recentemente que Valentino Rossi, piloto megastar da MotoGP, cujas comemorações de vitórias (e corridas em si…) são espetáculos dramáticos, capazes de fazer alguém assistir as últimas voltas de pé em frente a TV, não se adaptaria a F1. Simplesmente porque ele, Valentino, se divertia demais correndo de motos, para se adaptar ao ambiente sisudo e avesso a grandes emoções da F1. Pode ser.

Mas quem acompanhou a corrida em Monza e viu o tapa que Barrichello deu na câmera quando saiu do carro, soube na hora que o que falta a F1 de hoje, não é racionalidade, precisão, pilotos melhores e nem mesmo mais equipes, mas sim decisões erradas, atitudes impulsivas e pilotos dispostos a fazer tudo, até arriscar perder tudo, pela possibilidade de vencer uma corrida. Ou pelo menos se divertir tentando.

O que está acontecendo com a F1? Aparentemente, está apenas voltando a ser F1.”

Marcelo Manna – All Racing.

14 Comments

  1. Rodrigo Pita 15/09/2009
  2. Andrei 15/09/2009
    • rodrigostoledo 15/09/2009
  3. Rodrigo Pessin 15/09/2009
    • rodrigostoledo 15/09/2009
  4. Luiz Felipe 15/09/2009
    • rodrigostoledo 15/09/2009
  5. ANDERSON 15/09/2009
  6. Opteron 15/09/2009
  7. Guilherme Carloni 17/09/2009
  8. Marcelo 18/09/2009
  9. Guilherme 20/09/2009

Leave a Reply