GP de Mônaco – Depois da Corrida

gomonaco

Uma corrida de Fórmula 1 nas apertadas ruas de Mônaco é de certa forma uma contradição. Todos os pilotos querem vencer e todo mundo quer ver, especialmente quando chove. Mas é quase impossível fazer ultrapassagens, ainda mais difícil conseguir um lugar na platéia de ricos e famosos, e não se pode negar o charme dos iates e garotas de biquíni ao redor da pista em um dia de sol. É um fato que o GP foi palco de corridas memoráveis, e de certa forma foi o que aconteceu neste último Domingo. Hamilton teve sorte com a entrada do safety car, já que tinha perdido muito tempo após parar na barreira de pneus na primeira volta. Mas as voltas rápidas na segunda metade da prova não tiveram nada a ver com sorte. O inglês assegurou vantagem suficiente para sua segunda parada nos boxes sendo ridiculamente rápido, segundo ele próprio. O resultado mudou as previsões de muita gente sobre quem será o Campeão deste ano, e Hamilton assumiu a liderança na tabela dos pilotos. A próxima etapa no Canadá está sendo considerada decisiva, mas isso já havia sido dito sobre o GP da Espanha, vencido por Raikkonen. . .

Só há espaço para 1 no topo do pódio, por isso ninguém falou muito sobre Kubica, mas o polonês continua sendo uma má notícia ambulante para pilotos como Nick Heidfeld, Piquet Jr e Alonso. O status de primeiro piloto dentro da equipe não é oficial, mas ao superar Heidfeld rotineiramente, e ameaçar, ora a Ferrari, ora McLaren, Kubica assume um lugar de destaque na bolsa de pilotos. Enquanto rumores apontam que Alonso teria assinado um contrato com a Ferrari para 2010, é muito mais provável que em um horizonte de dois ou três anos, Kubica seja a melhor aposta, seja qual for a melhor equipe então.

Corridas com um grande vencedor costumam ter também grandes perdedores. Quando Kimi acertou a traseira de Sutil e o tirou da prova, sem querer direcionou toda a atenção para o fato de que o Alemão estava à sua frente, com um carro infinitamente inferior. E com isso Sutil garantiu um lugar no grid para 2009. Mas os pontos perdidos pela Equipe, a única que ainda não marcou este ano, valiam muito mais do que o último lugar entre os construtores. Acima de tudo, valiam muito dinheiro. As reclamações e protestos não devem dar em nada. Não houve intenção de Kimi, cujo erro parece ter sido excesso de cautela, ao frear cedo demais na saída do túnel. E a perda de quatro pontos é punição suficiente para quem tem ambição de vencer o Campeonato.

Só não foi perda maior que a de Piquet Junior, que após abandonar a corrida deixou transparecer o efeito da pressão por resultados, por fazer jus ao seu sobrenome, e até por igualar a peformance de Hamilton, que em seu primeiro ano superou Alonso diversas vezes.

Alonso também não deu nenhum show, e ao tentar ultrapassar Heidfeld na impossível Loews, merecia receber uma punição. Mas com a ajuda de Piquet, ficou longe das críticas e preocupações da Renault. Barrichello fez uma corrida disciplinada e se manteve longe de confusões, conquistando seus primeiros pontos desde o GP do Brazil em 2006.

Massa admitiu o erro no início da prova, mas disse que é normal perder a concentração em corridas assim, e culpou a estratégia da equipe pela perda da liderança. Os próprios pilotos costumam dizer que a última palavra é sempre do piloto em decisões deste tipo, mas a seu favor Massa tem o fato de que seu rádio não estava funcionando, de novo. Suas chances no Campeonato parecem estar melhorando, ele está em boa fase e Kimi está ajudando. Preocupante é o rádio da equipe com maior orçamento quebrar tantas vezes.

A próxima etapa será no Canadá, onde Hamilton venceu em 2007 e a McLaren parece levar alguma vantagem. Isso deixa Kimi, que não pode mais errar, Massa, que precisa vencer, e a Ferrari que não pode mais quebrar o rádio, sob pressão ainda maior.

O mesmo acontece com Piquet, o sobrenome não garante muito mais paciência na Fórmula 1, e ele precisa fazer algo realmente especial para não voltar a ser piloto de testes, humilhação que teria efeitos devastadores na sua auto-confiança e carreira na categoria. Button, Barrichello, Heidfeld, Vettel, Boudais, Roseberg e Fisichella também estão sob pressão. Há mais pressão do que o normal para esta altura do campeonato, e com o emprego em jogo, pilotos costumam fazer mais esforços que o normal. E mais bobagens também…

Marcel MannaAll Racing.

One Response

  1. Jeovane 02/06/2008

Leave a Reply