É possível mudar de carreira?

mundo_12.jpgA partir de hoje vamos poder contar com a grande colaboração da Consultora Adriana Saba. 

Psicóloga, com experiência em Carreira e Desenvolvimento de Pessoas, realizando assessment, coaching / consultoria de carreira individual e também orientação profissional, atualmente desenvolve seus trabalhos como Consultora na empresa Oficina da Mudança.

Seja bem vinda ao blog Adriana! 

É possível mudar de carreira?

Hoje, em qualquer roda de amigos, sempre se encontra um número enorme de profissionais insatisfeitos. Boa parte das pessoas tem um forte desejo de mudança em relação à sua vida profissional: “estou cansado dessa vida, quero mudar tudo!”. Mas o que são grandes mudanças na carreira? Mudar de emprego, de segmento de atuação, deixar de ser empregado e passar a ser “dono do próprio nariz”? Acreditem, mudanças significativas começam com os pequenos gestos. Porque, na realidade, a mudança é um processo. Como diz o poeta Rainer Maria Rilke, “o futuro entra em nós, para transformar-se em nós, muito antes de acontecer”. A mudança propriamente dita é a ação que mostra um processo interno mais amplo que começa sem nos darmos conta.   Em geral quando a pessoa quer mudar, tem mil idéias na cabeça  e a promessa de uma vida diferente parece tão melhor que a realidade que ela está vivendo, que a vontade de mudar imediatamente se torna difícil de controlar. Mas é fundamental que se espere o tempo suficiente para amadurecer a idéia e obter as condições necessárias: adquirir novos conhecimentos (o inglês fluente, por exemplo) ou ter uma reserva financeira significativa que suporte possíveis oscilações (no caso de negócio próprio). 

Um outro aspecto fundamental é a questão do networking, a tão comentada rede de contatos.  Sem contatos não há mudança! E, em geral, ao planejar a mudança, pensamos na nossa rede como ela está naquele momento – isto é um engano, pois quando você muda, a sua rede também se reposiciona. Um bom exemplo é o de um executivo de uma empresa renomada que contava com uma razoável rede de contatos, desligou-se da organização e abriu um negócio próprio contando com os seus contatos. Cometeu um grande erro de estratégia: ao se desligar da empresa, as pessoas passaram a vê-lo de uma forma diferente, profissional e socialmente. Então o que se pode e deve fazer: começar a construir uma nova percepção a seu respeito – você não trabalha na poderosa empresa “X”, mas pode ser um blogueiro empreendedor, um acadêmico que retorna aos estudos, dedicando-se a uma área nova, e por aí vai. A carreira está em processo de reconstrução, e uma nova imagem faz parte dela.

Vale a pena pensar nos seus contatos: quem são, há vínculo de fato, você pode contar com estas pessoas. Qualquer investimento de tempo que se faça na construção de relacionamentos é bem-vindo. Mas é sempre bom lembrar: networking não é apenas troca de cartões de visita em coffe-breaks de eventos, pode começar aí, mas vai muito além…

Adriana Saba – Consultora

http://www.oficinadamudanca.com.br/

Leave a Reply