Modelos de Contratos

contract_500.jpgHá mais de 14 anos trabalho como advogado na área de direito preventivo e contratual.

Comecei trabalhando em Bancos, depois fui para o Varejo e hoje trabalho como Consultor Autônomo.

Trabalhando no Varejo eu descobri uma realidade muito interessante das empresas brasileiras.

A maior parte das micro, pequenas e médias empresas especializadas em prestação de serviços nas mais diversas áreas, consultorias de todos os tipos (inclusive de recursos humanos), Marketing, Internet e Tecnologia, somente para citar alguns exemplos, não possuem modelos de contratos para formalizar a venda de seu trabalho.

Podemos dividir estas empresas basicamente em três grupos, sendo o primeiro não utiliza  qualquer modelo de contrato pré definido e que normalmente aceita qualquer documento imposto pelo cliente, o segundo com modelos de contratos muito ruins ou aproveitados de situações completamente diferentes do negócio fechado, o terceiro e menor grupo, que corresponde seguramente a menos de 5% do total, que possuem bons modelos de contratos, que realmente preservam seus direitos.

Quando comecei a trabalhar como advogado autônomo encontrei o desafio enorme de vender algo extremamente necessário, mas que as empresas e pessoas físicas geralmente acham que não precisam, contratos e medidas preventivas para proteger os negócios realizados.

Logo na primeira cliente ouvi um educado, mas sonoro não, pois ela não tinha interesse em gastar dinheiro com contratos naquele momento. Fui para casa sabendo que a batalha nesta área seria longa e dura, mas sem qualquer sensação de derrota ou desânimo.

Aproximadamente um mês após esta visita, recebi uma ligação com uma voz carregada de pressa e uma certa decepção, era aquela mesma cliente, querendo fechar comigo com urgência a elaboração dos modelos de contratos necessários para os negócios normalmente fechados por sua empresa.

A curiosidade tomou conta de meus pensamentos, logo precisei perguntar o que havia ocorrido. Foi então que minha cliente comentou que sofreu um prejuízo de mais de R$ 30.000,00 e não tinha um documento sequer para conseguir recuperar seu dinheiro. Não havia assinado nenhum contrato.

Mas por que diabos as pessoas fazem isto? Será que só se pensa em um bom contrato após experimentar um bom prejuízo?

Infelizmente é o que normalmente ocorre.

Enquanto o prejuízo não chega as pessoas vão operando os seus negócios de qualquer jeito, sem tomar as devidas cautelas e elaborar bons contratos.

Navegando pela Net é possível encontrar muitos sites com modelos de contratos, mas a adequação deles para a realidade do negócio necessita de um profissional especializado e com bons conhecimentos nesta área.

Fazendo uma pequena analogia, usar uma minuta de contrato por conta própria é a mesma coisa que usar um modelo simples de site destes que são encontrados aos montes na internet. Pode até quebrar um galho, mas nada como um trabalho realizado por um bom profissional. A diferença é notável para qualquer um.

Uma empresa que chega a uma negociação com um contrato equilibrado, honesto e bem redigido causa uma impressão de seriedade e profissionalismo muito grande, marcando importantes pontos num mercado cada vez mais competitivo.

Certamente o mercado competitivo, o tempo e os prejuízos levarão as empresas a procurarem mais por medidas preventivas e bons contratos para garantir os bons negócios.

Nem tudo que é encontrado de graça ou com preço muito baixo na internet é bom!

3 Comments

  1. Andrea Ruano Toledo 19/06/2007
  2. rodrigostoledo 19/06/2007

Leave a Reply